Cotidiano
Celina Peres » Cotidiano
3 meses atrás

Utilize a grana do FGTS para sair da inadimplência

Os R$ 500 do FGTS, Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, que já foi debitado na conta de algumas pessoas, é apenas a primeira parcela do Saque Imediato, em razão da liberação do dinheiro continuar neste mês e se estender até março de 2020, aliviando o bolso dos que acumularam dívidas e assim aproveitando para sair da inadimplência, situação que gera constrangimentos em algumas ocasiões.

Utilize a grana do FGTS para sair da inadimplência

Nesse primeiro momento, serão contemplados somente correntistas do banco nascidos entre janeiro e abril. Segundo a Caixa, serão liberados R$ 5 bilhões para cerca de 12 milhões de pessoas. Muitos especialistas apontam que o destino desses valores sacados tende a ser o pagamento de contas atrasadas.

Um levantamento realizado pela SPE, Secretaria de Política Econômica, do Ministério da Economia, mostra que 37,3% das pessoas com nome negativado tem dívidas inferiores a R$ 500 e irão utilizar esse dinheiro para acertar vida financeira.

De acordo com o SPC Brasil, a maior parte dos brasileiros inadimplentes (53,3%) tinha, em junho, dívidas menores de 1.000 reais: 37,38% deviam até 500 reais e 15,9% deviam entre 500 e 1.000 reais.

Outros 20,34% tinham dívidas na faixa de 1.000 a 2.500 reais; 15,96% deviam entre 2.500 e 7.500 reais e, para 10,42% deles, o débito pendente superava 7.500 reais.

A maior parte dos atrasos se concentra em contas de água e luz.

“Pagar dívidas, sem dúvida, deve ser prioridade de quem puder sacar esse dinheiro, por conta dos juros altos que elas cobram”, diz o educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli. “Mas depende muito do valor. Para uma dívida até a faixa dos 3.000 reais, ter 500 reais em mãos ajuda o consumidor a abater parte do valor e renegociá-lo em parcelas menores, mas, para dívidas mais altas, é um dinheiro que faz pouca diferença”.

Lista de dívidas

De acordo com especialistas em economia, uma ação importante antes de efetuar o saque do recurso, é fazer uma lista com as dívidas pendentes e analisá-las.

Com a grana em mão, é o momento de planejar propostas para negociação com o credor e ter em mente que o cliente tem o poder em mãos por causa dos recursos do FGTS, mesmo se tratando de R$ 500, que se não abater toda dívida, ajuda a amenizar a situação.

O passo seguinte é ir atrás dos canais de atendimento da empresa credora. É fundamental que o devedor negocie e peça benefícios. O poder de barganha ganha força quando tem uma quantia como o saque adicional do FGTS. Muitas financeiras e bancos, por exemplo, chegam a tirar parte dos juros para receber ao menos o saldo devedor.

Aqueles que têm dívidas com o cheque especial e cartão de crédito, devem priorizar a quitação delas, pois são as que tem as taxas de juros mais altas. Vale lembrar que ao negociar com o banco é possível congelar o valor e renegociar a uma taxa, com juros muito mais baixos.

Dívida liquidada

Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros, destaca que após negociar as dívidas é importante fazer uma redução no custo de vida, para não voltar a ficar inadimplente.

Com essa tarefa cumprida, é aconselhável que qualquer entrada de dinheiro extra seja usada para reserva financeira, a fim de auxiliar em situações emergenciais.

Além dessas etapas, é importante que o trabalhador guarde todas as documentações. Portanto, exija a própria via do contrato, com assinatura do gerente. Se estiver negociando uma dívida de R$1 mil, para ser liquidada por R$500, tenha certeza de que os R$500 remanescentes não vão gerar mais débitos.

Operação Zera Dívida

Segundo o Acordo Certo, plataforma online de negociação de dívidas que serve como um banco de dados para que consulte seu CPF e descubra se deve para determinadas empresas ou setores, 25 milhões de pessoas possuem CPFs em débito para negociação, somando um montante de 32 bilhões de reais em dívidas. “Entendemos que todos devem ter a oportunidade de limpar o nome, quitar aquele débito antigo e reorganizar as contas atrasadas”, afirma Dilson Sá, CEO da Acordo Certo.

Para solucionar esse problema, a empresa criou a operação Zera Dívida. Até 27 de setembro, os interessados poderão quitar seus débitos sem sair de casa. Basta acessar a plataforma, realizar um cadastro e consultar dívidas em aberto com parceiros como Santander, Lojas Pernambucanas, entre outros. As condições de pagamento podem chegar até 95% de desconto, com parcelamento em até 12x.

Confira mais dicas

O trabalhador pode aproveitar o saque para pagar as dívidas, seja a quitação ou amortizar o valor pendente. Abaixo listamos mais algumas dicas dentre as já citadas para ajudar o consumidor inadimplente sair dessa situação:

Organize as dívidas abertas

Antes de sacar o FGTS, faça uma lista com as suas dívidas pendentes e busque mais dados sobre isso. Confira as informações sobre os valores atualizados, prazos de pagamento e também sobre as taxas de juros praticadas. A partir daí, é possível definir quais desses compromissos são prioridade na hora de fazer o pagamento.

Negocie as dívidas

Uma vez as dívidas levantadas e classificadas, o próximo passo do trabalhador beneficiado com a liberação do FGTS é negociar prazos, descontos e até novas taxas de juros. De olho no valor adicional que está sendo liberado ao trabalhador por meio do saque do FGTS, as financeiras, operadoras de cartão e até empresas de cobranças oferecem condições especiais.

Fuja das pressões do telemarketing

Comum de acontecer, representantes de telemarketing costumam pressionar o devedor a quitar a dívida e escapar de punições. Em meio ao início do pagamento do FGTS, as empresas de cobrança via telemarketing devem intensificar a abordagem e as ligações junto aos trabalhadores com dívidas.

Segundo economistas, o serviço mais tradicional chega a pressionar a ponto de constranger o inadimplente, por esse motivo, ele sugere as pessoas procurarem os canais que ofereçam melhores condições, como taxas, quantidade de parcelas e descontos na hora de amortizar parte ou o valor total do saldo devedor.

Os canais digitais podem ser uma boa alternativa tanto em relação a desconto quanto na forma de negociação.

Equacione os gastos ao que ganha

Com as dívidas negociadas com o uso do FGTS, é preciso mudar os hábitos a fim de não cair mais na reincidência da inadimplência. Após renegociar ou quitar as respectivas dívidas, é preciso adequar seus gastos ao seu salário e ganhos.

Para isso, é preciso avaliar as despesas para ver se algumas delas são ou não necessárias. Em caso de ser algo sem necessidade, é preciso fazer cortes.

Cheque especial e cartão de crédito
Segundo especialistas, os brasileiros têm o hábito errôneo de utilizar o limite do cheque especial ou o cartão de crédito como uma renda disponível. Com isso, o consumidor passa a gastar bem acima do que ganha, no entanto, não consegue arcar com essa despesa mais adiante. E essa dívida é a grande vilã em razão dos juros altos praticados pelas instituições.

A dica é usar somente o valor que ganha e nada mais.

Regional News

Com seriedade, respeito e compromisso com o leitor, o REGIONAL NEWS se propõe a preencher a lacuna existente no eixo LAPA – JUNDIAÍ, fechando parcerias e viabilizando o maior órgão de imprensa regional.

Buscar a verdade sempre, independente das forças e interesses contrários que a vida pública possa apresentar, sem jamais discriminar raça, credo, religião, posição sócio-econômica ou outras.

Vamos Bater um Papo?