Música
3 semanas atrás

Tattoo Week como sempre é sucesso de público

Desnecessário dizer que a Tattoo Week SP foi sucesso. Mais uma vez os amantes da arte corporal compareceram em ótimo número nos três dias do evento que rolou nesse final de semana no São Paulo Expo.

Tattoo Week como sempre é sucesso de público
Negra Li foi uma das cantoras do evento (Foto: Letícia Nunes Lima)

Nessa 8ª edição, como sempre, participaram alguns dos mais renomados artistas do Brasil e também do exterior. Marcaram presença o peruano Stefano Alcântara, cujo estúdio em Nova York é considerado um dos melhores do mundo na técnica do realismo. Vieram também da Terra do Tio Sam os californianos do estúdio La Razza Tattoo. De bem mais perto marcaram presença os estúdios Yeyo Tattoo e Mandinga Tattoo, dois dos mais conceituados da Argentina.

O São Paulo Expo é a nova casa do Tattoo Week e no seu amplo espaço abrigou, além dos estúdios de tatuagem, dois palcos para shows, exposição de capacetes customizados, motos bacanudas, espaço para crianças e claro, muita gente tatuada.

Paixão pela arte corporal à flor da pele. O barulhinho das maquininhas era ininterrupto com os artistas trabalhando sem parar.

Comparecendo pela primeira vez na Tattoo Week SP os artistas do estúdio carioca Irezumi estavam empolgados.

Dimas Therion, do cast do Irezumi, era só elogios para a organização do evento. Para ele a tatuagem há tempos perdeu o estigma de arte marginal se tornado cult. “Com certeza, hoje em dia se tornou comum. Há pessoas de igrejas católicas e evangélicas que têm feito tatuagem. E até idosos também. Hoje em dia tá muito mais normal que antigamente. Não é visto como arte marginalizada. A não ser que seja como incitação ao crime”, diz o artista. Therion fala ainda que há algumas recomendações para a pessoa que quer fazer uma arte corporal.

“Se a pessoa tiver algum tipo de alergia, não recomendamos. Mulheres grávidas também, nos primeiros meses de gravidez não recomendamos”, alerta Dimas Therion.

No caso de pessoas mais idosas o tatuador diz serem necessários alguns cuidados também. “Há a dificuldade no caso de um idoso, cuja pele é bem mais flácida que a de um jovem. Contudo é possível tatuar, só é um pouco mais difícil. Tem que esticar um pouco mais a pele sem forçar tanto. Mas é normal”, conclui o artista.

A questão de tatuar pessoas mais idosas também foi abordada com Leco Tattoer. Convidado do Santa Mooca Tattoo o artista coloca que os cuidados são redobrados após a pessoa com mais idade fazer a tatuagem. “Tem que ter muito cuidado porque a pele é mais sensível. Contudo não há restrição de idade”, afirma. Leco Tattoer diz orgulhoso que a pessoa mais velha que tatuou foi uma senhora de 85 anos. “Ela tinha um sonho de uma vida inteira de fazer uma tatuagem do Palmeiras. E ela realizou o sonho depois que o marido morreu”, diz Leco.

Para ele o Tattoo Week SP é uma ótima oportunidade para os estúdios divulgarem seus trabalhos. “A tatuagem já foi muito discriminada. Mas hoje é vista como arte, uma arte eterna que ficará na sua pele”, filosofa o artista.
Na parte dos shows, que contou com nomes como Garage Fuzz, Dead Pride e Opala 69, destaque para o da cantora Negra Li.

A rapper esbanjou charme e talento num set list que passou por toda a carreira, desde os tempos do RZO. Mostrou que Lauren Hill, dos Fugees, é uma de suas inspirações ao interpretar “Killing Me
Softly”

Aproveitou pra mostras músicas novas que integrarão o CD a ser lançado em novembro, além de uma homenagem a Chorão e Champginon, ambos falecidos, que integravam o Charlie Brown Jr.
Como se sabe Negra Li ganhou projeção nacional ao gravar com o grupo santista a música “Não é Sério”.

A cantora foi também escolhida pra ser madrinha do concurso Miss Tattoo com direito a muitas fotos.
No final agradeceu o carinho do público e saiu ovacionada.
Enfim a Tattoo Week SP é uma festa que vai além da arte corporal.

Regional News

Com seriedade, respeito e compromisso com o leitor, o REGIONAL NEWS se propõe a preencher a lacuna existente no eixo LAPA – JUNDIAÍ, fechando parcerias e viabilizando o maior órgão de imprensa regional.

Buscar a verdade sempre, independente das forças e interesses contrários que a vida pública possa apresentar, sem jamais discriminar raça, credo, religião, posição sócio-econômica ou outras.

Vamos Bater um Papo?