Caieiras
3 meses atrás

Saúde pública piora e ruma para o caos em Caieiras

Rafael Moreira, 29 anos, é mais um morador de Caieiras a procurar o jornal Regional News para denunciar que esteve no Hospital de Campanha de Laranjeiras, em 8 de março, com sintomas de Covid-19, e o atendimento foi a quem do esperado e divulgado pela prefeitura nas redes sociais.

Saúde pública piora e ruma para o caos em Caieiras
Foto: Reprodução

Segundo ele, no dia 9 de março realizou a coleta para realização de exame e após esperar por mais de 20 dias, sem nenhum retorno, procurou a unidade para saber se tinha saído o resultado e foi surpreendido com a resposta de que precisaria esperar, pois tinha surgido um problema.

Preocupado com a situação, Rafael entrou em contato com o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, para onde são encaminhadas as coletas para análise, e lá foi informado que a Vigilância Epidemiológica de Caieiras teria encaminhado a coleta dos seus exames apenas no dia 5 de abril, quase 30 dias depois. “Um absurdo considerando que no Adolfo Lutz fui informado que após a coleta, são 72 horas para chegar ao laboratório para fazer o congelamento e aguardar para realizar o exame”, disse Rafael.

Não bastasse essa situação, para tentar minimizar a falha, responsáveis pelo hospital de campanha alteraram a data da consulta do paciente. “Estive lá na unidade entre os dias 8 e 9 de março e colocaram que me consultei nos dias 1º e 5 de abril. São vários questionamentos e ninguém assume a responsabilidade. Já estou cansado de esperar por uma resposta oficial e verdadeira”, declarou.

O que já era ruim por conta de sua saúde ficou pior. Por conta da demora na entrega do resultado do exame, ele acabou sendo despedido do emprego por não ter provas para apresentar no período que ficou doente e investigava a suspeita de Covid. “Fui mandado embora da empresa porque meu exame não saía. Sem dizer a gravidade da mudança de data da minha consulta. Eu pedi o prontuário desses dias que eles alegam que estive no hospital e estou esperando até agora, apesar de ser impossível justamente porque não estive lá nessas datas”, denunciou Rafael.

A confusão foi tamanha que ao receber o resultado com a informação que tinha dado negativo, ele desconfiou. “O exame deu negativo, mas foi tanta mudança de data e informação trocada que não acredito ser o meu”, disse.

Mulher morre à espera de tratamento

Em solicitação de cópia de prontuário, Rafael aponta dados incorretos – Foto: Arquivo PessoalPela rede social, Rosimara Pereira denunciou outro descaso envolvendo o centro de combate ao coronavírus de Caieiras. Segundo ela, uma vizinha de 47 anos foi diagnosticada com Covid após fazer o teste e dar positivo. Mas o médico a mandou fazer o tratamento em casa. Porém, dias depois ela teve uma piora e foi para o Hospital de Campanha. Deu entrada com a saturação baixa, mas não a entubaram de primeiro momento. “Não sabemos por que, pois ela não estava reagindo ao tratamento”, relata na postagem.

De acordo com Rosimara, mesmo com toda preocupação da família e pedido de providências junto à unidade, nada foi feito a tempo e sua vizinha morreu. “Quando resolveram fazer alguma coisa, já era tarde. No óbito colocaram a causa como síndrome gripal. Um absurdo. Onde está o governante dessa cidade?”, questionou.

O fato foi publicado nos grupos “Caieiras/SP – Aqui é Só Verdade” e “Muda Caieiras”. Nas redes sociais, frequentemente surrem reclamações contra a saúde pública de Caieiras.

A prefeitura de Caieiras foi procurada para se manifestar, mas não encaminhou resposta até o fechamento da edição.

Receituário comprova data que Rafael passou por consulta – Foto: Arquivo Pessoal

Paciente recebeu resultado com data diferente de quando fez a coleta – Foto: Arquivo Pessoal

Regional News

Com seriedade, respeito e compromisso com o leitor, o REGIONAL NEWS se propõe a preencher a lacuna existente no eixo LAPA – JUNDIAÍ, fechando parcerias e viabilizando o maior órgão de imprensa regional.

Buscar a verdade sempre, independente das forças e interesses contrários que a vida pública possa apresentar, sem jamais discriminar raça, credo, religião, posição sócio-econômica ou outras.

Vamos Bater um Papo?