Auto News
8 meses atrás

Renault Sandero Stepway é uma boa opção de carro usado

Dentro da lista dos carros mais vendidos no Brasil, o Renault Sandero é uma ótima opção para quem procura um bom carro semi novo. Com opinião dos clientes sendo positiva e o poder de revenda do veículo sendo alto, o preço é justo e a relação custo benefício é favorável para quem procura por um veículo útil tanto para o dia a dia na cidade quanto para os passeios com a família nos finais de semana.

Renault Sandero Stepway é uma boa opção de carro usado

Bom motor

O 1.0 SCe 12V de três cilindros traz inovações como duplo comando de válvulas variável na admissão e no escape, tecnologia inédita entre os motores de entrada. Todo em alumínio, é 20 kg mais leve que o seu antecessor. Já o 1.6 SCe 16V de quatro cilindros traz duplo comando de válvulas variável na admissão, injetores posicionados no cabeçote e outras novidades que garantem alta eficiência e bom desempenho. Também em alumínio, é 30 kg mais leve.

A Renault aproveita o “know-how” adquirido nas pistas da Fórmula 1, categoria na qual a marca já conquistou 12 títulos mundiais, para garantir a máxima eficiência de seus novos motores. Das pistas, veio a tecnologia ESM (Energy Smart Management) e a bomba de óleo com vazão variável, que reduzem o consumo de combustível. Outra novidade é a adoção da direção eletro-hidráulica em todas as versões, que melhora o consumo e aumenta e representa uma evolução em matéria de conforto.

O motor 1.6 SCe traz ainda o sistema Stop&Start, que desliga o automóvel automaticamente em semáforo ou outras paradas. Este moderno sistema, muito comum em carros topo de gama, garante uma economia de até 5% de combustível e está disponível nos modelos Sandero e Logan. Os modelos equipados com o câmbio automatizado Easy’R passam a oferecer controle de estabilidade (ESP) e assistente de partida em rampas (HSA), proporcionando mais segurança.

O novo motor 1.0 SCe deixa Sandero e Logan até 19% mais econômicos. Com o 1.6 SCe, a economia chega até 21%. Hatch e sedã equipados com os novos motores e câmbio manual são destaques do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV) com nota “A”. Já Duster e Duster Oroch equipados com o 1.6 SCe estão até 18% e 16% mais eficientes, respectivamente.

Consumo satisfatório

A engenharia da Renault agregou novas tecnologias para atingir a máxima economia de combustível. No 1.0 SCe os anéis de pistão, tuchos e polias variáveis (VVT) são revestidos em DLC (Diamond Like Carbon), um composto de carbono com propriedades de dureza muito altas por causa da sua estrutura similar ao diamante (daí a inspiração para o seu nome).

No 1.6 SCe, esses elementos são revestidos em PVD (Physical Vapor Deposition). Estes revestimentos reduzem atrito e desgaste do motor, além de contribuir para uma melhor eficiência energética. Tanto o DLC quanto o PVD são soluções que surgiram nas pistas da Fórmula 1 e agora ganham as ruas.

A bomba de óleo variável (1.0 SCe) é outra solução que surgiu nas pistas de competições e chega aos carros de rua. Ela ajusta automaticamente o fluxo de óleo enviado de acordo com a rotação e a carga do motor. Como resultado, o motor absorve menos energia e, consequentemente, fica mais econômico.

Novidade em toda a gama 1.0 SCe e 1.6 SCe, o sistema ESM (Energy Smart Management) de regeneração de energia já equipa Duster e Duster Oroch com o motor 2.0 desde a metade do ano. O funcionamento é simples e eficiente: durante a desaceleração do carro, quando o motorista retira o pé do acelerador, o motor continua girando sem consumir combustível. Nesse momento, o alternador automaticamente passa a recuperar energia e enviá-la para a bateria, que aumenta sua carga sem consumo de combustível. Durante a aceleração, o alternador não precisa “roubar” energia do motor para enviar à bateria, já que houve a carga na desaceleração. Esse sistema garante um consumo até 2% menor.

Outra novidade é a adoção da direção eletro-hidráulica. Para o motorista, isso representa uma direção ainda mais leve e um menor esforço na hora de realizar manobras. A direção com esforço variável ainda se ajusta de acordo com a velocidade, ficando mais pesada em altas velocidades e proporcionando maior segurança. Como nesse sistema a bomba da direção passa a ser acionada por um motor elétrico à parte, e não pelo motor do carro, evita-se a perda de potência e se reduz em até 3% o consumo de combustível.

O sistema Stop&Start, exclusivo do motor 1.6 SCe de Sandero e Logan, desliga o motor automaticamente quando o veículo para em semáforo/congestionamento. E religa automaticamente quando o motorista começa a pressionar o pedal da embreagem, economizando até 5% de combustível. O sistema pode ser ativado/desativado conforme a necessidade do motorista por meio de um botão à esquerda do volante.

Para potencializar o comportamento econômico, os modelos equipados com o Media NAV 2.0 trazem as funções Eco-Coaching, que avalia a condução do motorista ao final de um percurso, levando em conta o momento certo para a troca de marchas, a regularidade da velocidade, o consumo e a quilometragem percorrida; e o Eco-Scoring, que orienta o condutor para dirigir de modo mais econômico.

Com os novos motores 1.0 SCe e 1.6 SCe, Sandero e Logan ficam entre os carros mais econômicos de suas categorias (na cidade e com gasolina), segundo o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV). O hatch 1.0 é o único modelo de seu segmento a superar a casa dos 14 km/l, enquanto o sedã 1.0 se destaca pelo consumo de 13,8 km/l. Com o motor 1.6, o hatch atinge a excelente marca de 12,8 km/l, enquanto o sedã chega a 13 km/l. Já o Duster 1,6 dá um salto de 9,5 km/l para 11,3 km/l com o novo motor.

1.0

A Renault aposta em alta tecnologia para melhorar seus motores. O 1.0 SCe é o único 1.0 do mercado com dois comandos de válvulas variáveis, na admissão e no escape. Nesse sistema, o variador de fase é posicionado no eixo comando, e atua fazendo a leitura eletrônica da rotação do motor, variando em função disso a posição do eixo comando em uma faixa ampla. Com isso, as características do motor são modificadas, garantindo o bom desempenho em diferentes regimes de rotação e redução do consumo de combustível.

O 1.0 SCe oferece 90% do torque máximo (10,5 kgfm) já a 2.000 rpm graças ao duplo comando de válvulas variável, um número 15% superior ao do antigo 1.0. Na prática, esses números garantem um carro com maior agilidade, segurança e prazer ao dirigir. Para os motoristas que utilizam o carro em estrada, o motor 1.0 SCe oferece mais segurança nas ultrapassagens, já que as retomadas são até 6% mais rápidas (80 a 120 km/h em 14,1 seg). Além disso, a aceleração de 0 a 100km/h está 8% melhor, com a marca de 13,0 s (etanol).

O 1.0 SCe é ainda mais potente que o seu antecessor. O motor gera 82 cv de potência quando abastecido com etanol e 79 cv com gasolina – 2 cv a mais que o antigo quatro cilindros, seja com qual for o combustível.

“O 1.0 SCe é um dos motores com mais tecnologia no mercado atualmente. É um motor que reúne soluções da Fórmula 1 e a expertise da Renault na fabricação e desenvolvimento de motores. Como resultado, o 1.0 SCe garante desempenho e prazer ao dirigir aliados à economia de combustível”, explica Márcio Melhorança, Gerente Geral de Engenharia Motores da Renault.

Outra evolução é a utilização de corrente de distribuição no lugar de correia, que dispensa a troca e garante baixo custo de manutenção.

O motor 1.0 SCe é produzido em uma das três fábricas da Renault no Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR). Para a fabricação dos novos motores 1.0 SCe, uma linha de montagem completamente nova foi instalada na unidade CMO (Curitiba Motores).

1.6

O destaque do motor 1.6 SCe é o maior desempenho e o prazer ao dirigir. A potência máxima de Sandero e Logan saltou de 106 cv para 118 cv, com etanol, um ganho de 11,3%. Com gasolina, a potência saltou de 98 cv para 115 cv, um aumento de 17,3%. O torque também é maior no novo motor: 16,0 kgfm, seja com gasolina ou etanol.

O duplo comandos de válvulas variável na admissão garante maior torque desde as baixas rotações e também proporciona maior prazer ao dirigir. Os números de performance do novo motor 1.6 SC são excelentes. O Sandero, por exemplo, acelera de 0 a 100 km/h em 10,3 segundos (ganho de 3,7s em relação ao antigo motor). A retomada de 60 – 100km/h está quase 4 segundos mais ágil (9,2s).

No Duster e Duster Oroch o novo motor 1.6 SCe oferece 118 cv com etanol e 120 cv com gasolina. O torque máximo é de 16,2 kgfm com ambos os combustíveis. O ganho de potência e torque se dá através de uma nova calibração da nova central eletrônica e um trabalho no coletor de escapamento.

Sandero e Logan equipados com o câmbio automatizado Easy’R passam a oferecer controle eletrônico de estabilidade (ESP) e assistente de arrancada em subidas (HSA), que é acionado quando o carro se encontra em uma inclinação superior a 3°. As duas tecnologias garantem maior segurança e prazer ao dirigir.

Assim como o 1.0 SCe, o novo 1.6 SCe utiliza corrente de distribuição no lugar de correia, que dispensa a troca. Traz ainda sistema de acessórios com acionamento através de correia elástica (sem polia tensora), que garante baixo custo de manutenção.

Regional News

Com seriedade, respeito e compromisso com o leitor, o REGIONAL NEWS se propõe a preencher a lacuna existente no eixo LAPA – JUNDIAÍ, fechando parcerias e viabilizando o maior órgão de imprensa regional.

Buscar a verdade sempre, independente das forças e interesses contrários que a vida pública possa apresentar, sem jamais discriminar raça, credo, religião, posição sócio-econômica ou outras.

Vamos Bater um Papo?