Caieiras
2 semanas atrás

Queimadas depreciam o meio ambiente

O período de estiagem segue até meados de novembro e com ele alguns problemas. Embora a região de Caieiras e municípios circunvizinhos, em São Paulo, não sofram com a seca como ocorre no Nordeste do país, por aqui as queimadas surgem como um sério problema a ser contido e combatido.

Queimadas depreciam o meio ambiente
Calor intenso, estiagem, vento e ações humanas mostram a devastação causada por incêndios (Arquivo Pessoal)

Por conta das altas temperaturas, o incêndio em mata é ainda mais propício e, para piorar, tem os que sem preocupação colaboram para esse crime grave que traz como consequência prejuízos inestimáveis para o meio ambiente.

As intensas queimadas levam não só a perda da mata nativa, mas também a de animais silvestres. Falando da cidade de Caieiras, ela sofre com esse problema mais uma vez, principalmente por ser dotada de muita área verde e preservada.

De acordo com a Defesa Civil, de janeiro a agosto deste ano, foram registradas 34 ocorrências referentes a queimadas. O número já maior que todo período de 2019, quando o órgão computou 32 casos.

Destruição e cinzas de área nativa é o resultado as queimadas (Defesa Civil)

O caso mais recente foi registrado no sábado, 4, quando um grande incêndio atingiu uma área de mata dentro da extinta empresa Kiporta, no Jardim Monte Alegre. Essa ocorrência não entrou ainda para a estatística da Defesa Civil que encaminhou a reportagem do Regional News os números até agosto.

Segundo o órgão, junho e julho foram os meses com maior número de ocorrências, tendo registrado 13 cada um. Laranjeiras com 14 casos, Jardim Vera Tereza (5) e Jardim Nova Era, Vila Rosina e Marcelino (3) foram os bairros com o maior número de registros este ano.

No total, ocorrências dessa natureza foram atendidas pela Defesa Civil em 9 diferentes localidades do município esse ano.

O prefeito de Caieiras, Gersinho Romero, chamou a atenção para esse sério problema na cidade. “Estamos enfrentando um clima muito seco e tendo vários problemas com queimadas em Caieiras. A Defesa Civil está sempre atenta, mas não está dando conta da demanda. Então, peço às pessoas que colaborem e se sensibilizem em tomar os cuidados necessários porque com o vento o fogo se alastra rapidamente e fica complicado de controlar. Além é claro de ser prejudicial à saúde e causar danos ao meio ambiente”, disse.

Calor, vento e estiagem somados a possíveis descuidos humanos são a receita perfeita para provocar incêndios e devastação (Arquivo Pessoal)

Calor, vento e estiagem somados a possíveis descuidos humanos são a receita perfeita para provocar incêndios e devastação (Arquivo Pessoal)

Queimada urbana
Segundo o IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, as queimadas poluem mais que veículos e fábricas nas cidades. Isto ocorre porque a combustão em automóveis e fábricas é feita de forma criteriosa.

No caso do incêndio em mata, ele acontece sem qualquer controle ou critério que minimize os efeitos no meio ambiente e na sua saúde. Por isso, nada de fazer queimada, mesmo em áreas particulares, pois além de prejudicial, infringe Lei Federal e Municipal e o infrator está sujeito a punições.

Orientações
Toda fumaça é prejudicial à saúde, principalmente para as crianças, idosos e enfermos podendo causar danos irreversíveis. Como a queimada pode ser iniciada por uma simples fagulha, não jogue lixo, papel, madeiras, sofás, móveis, pneus, borrachas, plásticos, galhos, folhas e capim em terrenos, ruas e calçadas. Bitucas de cigarros acesas também colaboram, e muito, para mais danos nesse sentido.

Se presenciar uma ocorrência dessa natureza, entre em contato com o Corpo de Bombeiros (193) e a Defesa Civil de sua cidade. Acesse www.rnews.com.br.

Calor, vento e estiagem somados a possíveis descuidos humanos são a receita perfeita para provocar incêndios e devastação (Arquivo Pessoal)

Regional News

Com seriedade, respeito e compromisso com o leitor, o REGIONAL NEWS se propõe a preencher a lacuna existente no eixo LAPA – JUNDIAÍ, fechando parcerias e viabilizando o maior órgão de imprensa regional.

Buscar a verdade sempre, independente das forças e interesses contrários que a vida pública possa apresentar, sem jamais discriminar raça, credo, religião, posição sócio-econômica ou outras.

Vamos Bater um Papo?