Bem Estar e Saúde
4 semanas atrás

OMS confirma 780 casos de varíola dos macacos em 27 países. Brasil monitora seis casos suspeitos

A OMS, Organização Mundial da Saúde, confirmou o registro de 780 casos de varíola dos macacos, doença rara que provoca pústulas que se proliferam pelo corpo, febre, calafrios e dores, entre outros sintomas.

OMS confirma 780 casos de varíola dos macacos em 27 países. Brasil monitora seis casos suspeitos
Foto: CDC/Brian W.J. Mahy

A enfermidade foi confirmada em 27 países onde o vírus não é endêmico. No entanto, segundo a entidade, o número de pacientes está subestimado devido às informações epidemiológicas e de laboratório limitadas. “É altamente provável que outros países identifiquem mais casos e que haverá maior expansão do vírus”, garantiu a organização de saúde do sistema ONU.

Entre os principais países com atual incidência da doença estão Reino Unido (207), Espanha (156), Portugal (138), Canadá (58) e Alemanha (57). Além de Europa e América do Norte, foram registrados alguns casos em Argentina, Austrália, Marrocos e Emirados Árabes Unidos. “Embora o risco para a saúde humana e para o público em geral continue sendo baixo, o risco para a saúde pública pode ser elevado se o vírus conseguir se estabelecer em países não endêmicos como patógeno humano generalizado”, afirmou a organização.

Brasil tem 6 casos suspeitos

No sábado, 4, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou em suas redes sociais que subiu para seis o número de casos suspeitos de varíola dos macacos — monkeypox, em inglês, e como o governo brasileiro tem chamado — no Brasil. Nenhum caso foi confirmado no país até o momento.

Antes do boletim, com os casos em Rondônia, o país tinha quatro pacientes com sintomas da varíola de macacos, um no Mato Grosso do Sul, um no Rio Grande do Sul, um no Ceará e outro em Santa Catarina.

Com informações da Jovem Pan e Veja

 

Siga o Rnews nas redes sociais

Regional News

Com seriedade, respeito e compromisso com o leitor, o REGIONAL NEWS se propõe a preencher a lacuna existente no eixo LAPA – JUNDIAÍ, fechando parcerias e viabilizando o maior órgão de imprensa regional.

Buscar a verdade sempre, independente das forças e interesses contrários que a vida pública possa apresentar, sem jamais discriminar raça, credo, religião, posição sócio-econômica ou outras.

Vamos Bater um Papo?