Música
Nelson de Souza Lima » Música
3 semanas atrás

O canto dos cisnes dos Porcos Cegos

Com uma trajetória marcada por sucessos e fracassos a Blind Pigs (Porcos Cegos) foi uma das bandas mais barulhentas entre os anos 90 e 00. Surgida em Barueri, na Grande São Paulo, em 1993 o BP encerrou a carreira definitivamente (até prova em contrário) em 2016.

O canto dos cisnes dos Porcos Cegos
Foto: Reprodução

Os shows eletrizantes do grupo eram marcados por muitos “bate cabeça” e rodas de pogo. Influenciados por bandas gringas como Forgotten Rebels, Asta Kask e Stiff Little Fingers os suínos lançaram discos emblemáticos, entre eles, o debute “São Paulo Chaos”, cuja produção ficou a cargo de Jay Ziskrout, ex-batera da sempre referencial Bad Religion.

Para matar a saudade dos fãs e deixar cravado na história piguiniana foi lançado recentemente “Lights Out”, HBB/Neves Records/Detona Records, pra ouvir no volume máximo. São oito faixas com toda a energia punk em riffs massacrantes, baixo e batera bate-estaca e vocais saidos de uma sessão de exorcismo. É Blind Pigs na melhor forma.

A voz de Henrike Baliú é punk legítimo, berrando palavras de ordem, ladeado pelas guitas de Gordo e Fabiano (substituído por Mauro) e a cozinha redonda do baixista Galindo e do batera Arnaldo. Disponível em CD, vinil 10’ e nas plataformas digitais “Lights Out” é motivo de orgulho pros caras. “Emocionante e gratifificante ver essas músicas saindo em vinil e CD depois de mais de cinco anos prontas, traz de volta à memória a energia que a gente estava na época”, afirma o guitarrista Gordo.

O álbum foi produzido por Átila Ardanuy destacando as três faixas inéditas “Restless Resistance”, “Steel Toe Judges” e “Not Dead Yet”. A cegueira never ends.

Regional News

Com seriedade, respeito e compromisso com o leitor, o REGIONAL NEWS se propõe a preencher a lacuna existente no eixo LAPA – JUNDIAÍ, fechando parcerias e viabilizando o maior órgão de imprensa regional.

Buscar a verdade sempre, independente das forças e interesses contrários que a vida pública possa apresentar, sem jamais discriminar raça, credo, religião, posição sócio-econômica ou outras.

Vamos Bater um Papo?