Cotidiano
2 semanas atrás

Ninguém é diferente, apenas especial

Mais um Dia das Crianças se aproxima e o momento é de celebrar, afinal estamos falando de seres que estão começando a vida e, embora tenham muito a aprender, também nos ensinam. Por falar em ensinar, esse ano, o jornal Regional News entrevistou pais que tem filho com Síndrome de Down e eles serão os homenageados da edição de 2019.

Ninguém é diferente, apenas especial
(Fotos: Arquivo Pessoal)

Mesmo consideradas crianças especiais, são como as demais tendo muitos sonhos e capazes de serem iguais ou melhores que qualquer ser humano. Mesmo em meio a um mundo tão violento em que vivemos nos dias atuais, os pais disseram estar preparados e que ter um filho nessa condição, só faz crescer o amor e a união dentro da família.

Janaina de Oliveira Santos é mãe de Marina de Oliveira Cassiano, 9 anos, portadora de Down. Ela contou o quão é especial ter um filho assim e que a trata da mesma maneira das irmãs que não possuem a síndrome. “Sou mãe de três meninas. Trato todas iguais, mas redobro atenção e o cuidado com a Marina em alguns fatos, infelizmente comum nos dias de hoje que é a violência contra a mulher”, revelou.

Para ela, a solução é sempre conversar e mostrar o mundo lá fora. “A melhor maneira de prepará-la para a vivência é explicando com muita clareza a realidade do que ela irá enfrentar. Eu não poderei estar presente todos os dias e em todos os locais, por esse motivo eu acredito muito na educação que tenho passado a ela, assim como no cuidado de Deus com a vida dela. Acredito que informação, educação e oração são as armas mais eficazes dos pais no preparo e edificação das crianças”, disse.

Marina é a alegria da família (Foto: Arquivo Pessoal)

Janaina também contou um pouco sobre a filha ser especial. “Eu não me achava preparada, assim como hoje ainda enfrento dificuldades. Porém, sempre busco o melhor em todas as esferas, encorajo e dou total apoio em cada sonho e nas perspectivas que ela já projeta de futuro. A Marina é um exemplo de amor incondicional, carinho e simpatia. Hoje ela já lê, escreve, faz teatro e é muito participativa na escola, igreja, curso e terapia. Se socializa muito bem com outras crianças, conhece e cumpre com rigorosidade a rotina da semana. É uma criança saudável, espontânea e alegre, é realmente um motivo de muito orgulho para toda nossa família”, citou com carinho.

Quem também esbanja carinho pelo filho com Down é Cláudia F. Lima Valini. O pequeno Luiz Alexandre Valini, de 4 anos, é motivo de orgulho para a família. Preocupada com o mundo atual, ela também lamenta a discriminação nos dias de hoje. “Temos que pensar muito, mas o desejo de ser mãe é muito maior. Porém, é muito triste ter um filho especial e ele ser discriminado. Falta amor e respeito ao próximo. Ninguém mais se coloca no lugar do outro e as notícias envolvendo as crianças são cada vez mais ruins. Uma pena”, falou.

Sobre o filho ter Síndrome de Dow, ela afirma que nada muda. “Trato meus dois filhos com mesmo carinho. Na verdade, ele não é diferente e sim perfeito, pois só quer amor, como as demais crianças. A vida dele não é fácil, mas tê-lo como filho, assim como a Laura, não tem preço, só tenho gratidão. O Luiz é puro, lindo, inteligente, o melhor de nós”, declarou.

Luiz é motivo de orgulho para a família (Foto: Arquivo Pessoal)

Quanto a vivência com Luiz, Claudia destaca o ensinamento. “Ele nos ensina todos os dias, em cada gesto, em cada aprendizado. Cada evolução é um motivo para comemorar e agradecer a Deus. Mas faço o apelo para que o maior ensinamento seja o de olhar para o próximo com amor, sentimento de sobra em crianças com portadoras dessa síndrome”, destacou.

Samira Mendes Silva, mãe de Hugo Mendes Silva de Barros, de 1 ano e 5 meses, também contou sua experiência de ter um filho com Down. “Não existe hora certa para se ter um filho, por que a violência sempre existiu, e sempre existirá, assim como o desemprego também. O que posso dizer é que a chegada de um bebe especial em nossas vidas tornou eu e meu marido adultos mais maduros. Aprendemos a enxergar o mundo sob uma nova perspectiva, pois tudo em nossa vida mudou, e mudou para melhor”, indicou.

De acordo com a mãe, o Hugo é o milagre da família. “Todos nós aprendemos muito todos os dias com ele, principalmente sobre superação. E não tem nada mais incrível no mundo do que vê-lo superar as suas dificuldades dia após dia. É simplesmente incrível, e completamente normal”, falou Samira, se referindo ao fato do filho ser portador da Síndrome. “Essa condição faz com que ele tenha um atraso no desenvolvimento, isso é fato. Mas estamos corrigindo isso com estímulos diários e seguindo as recomendações que a APAE de Caieiras nos dá. Mas essa condição não o impede de ser um bebê comum, que tem suas preferências e gostos, suas manias, e formas de pedir carinho, atenção, ou, algo que ele queira”, pontuou.

Samira finaliza dizendo o sentimento inexplicável que criou dentro dela após o nascimento do Hugo. “Tem pessoas que por falta de conhecimento acabam querendo nos desestimular em relação ao Hugo. Contudo, ele foi a melhor coisa do mundo que poderia ter acontecido. Esse carinho transformou a minha alma. Cada beijo, abraço, carícias me fazem querer congelar o tempo e ficar ali para sempre. Eu jamais imaginei ser capaz de ter um sentimento tão intenso. Apenas gratidão”, concluiu.

Hugo trouxe ensinamentos para os pais (Foto: Arquivo Pessoal)

Regional News

Com seriedade, respeito e compromisso com o leitor, o REGIONAL NEWS se propõe a preencher a lacuna existente no eixo LAPA – JUNDIAÍ, fechando parcerias e viabilizando o maior órgão de imprensa regional.

Buscar a verdade sempre, independente das forças e interesses contrários que a vida pública possa apresentar, sem jamais discriminar raça, credo, religião, posição sócio-econômica ou outras.

Vamos Bater um Papo?