Caieiras
2 semanas atrás

Estudante picada durante atividade escolar em Caieiras recebe alta

Muito se falou e se cogitou sobre o caso que ocorreu em 14 de fevereiro deste ano quando uma adolescente de 14 anos foi picada durante a realização de uma atividade escolar em Caieiras. Cobra, aranha e demais bichos peçonhentos foram colocados como possíveis causadores, mas ela foi picada por um mosquito-palha, transmissor da leishmaniose, uma infecção causada por um parasita.

Estudante picada durante atividade escolar em Caieiras recebe alta
Menina passou por duas cirurgias na perna - Foto: Reprodução/Facebook

Maria Clara Oliveira Nogueira ficou internada por 49 dias. Em entrevistas e desabafos, a mãe da vítima disse que a filha correu o risco de ter que amputar a perna. No caso da adolescente, ela contraiu leishmaniose cutânea, que causa lesões na pele.

Após a picada, Maria passou a reclamar de dores na perna. Segundo a Prefeitura de Caieiras, que acompanhou o caso, no dia 19 de fevereiro, a mãe dela, Fabiana Oliveira Borin, procurou a escola para ter mais informações, mas não teve retorno.

No dia 21 de fevereiro, ela foi até um pronto-socorro de Laranjeiras com a filha após o surgimento de um ferimento na perna no local da picada onde foi feito um curativo e drenagem do ferimento.

Como o ferimento continuava exposto e aparentemente com pus, no dia 8 de março a garota retornou novamente ao hospital. Maria foi internada por volta do dia 10 de março, ela contraiu uma bactéria por conta da picada.

A adolescente teve que passar por duas cirurgias para a retirada de necroses da perna, que poderiam gerar infecção generalizada, e teve alta no dia 30 de abril. A notícia foi compartilha com alívio e alegria pela mãe dela nas redes sociais.

Mãe de Maria Clara compartilhou com alegria a notícia de alta da filha – Foto: Foto: Reprodução/Facebook

Siga o Rnews nas redes sociais

Regional News

Com seriedade, respeito e compromisso com o leitor, o REGIONAL NEWS se propõe a preencher a lacuna existente no eixo LAPA – JUNDIAÍ, fechando parcerias e viabilizando o maior órgão de imprensa regional.

Buscar a verdade sempre, independente das forças e interesses contrários que a vida pública possa apresentar, sem jamais discriminar raça, credo, religião, posição sócio-econômica ou outras.

Vamos Bater um Papo?