Música
Nelson de Souza Lima » Música
2 meses atrás

Em alto e bom português

Considerado um dos mais promissores grupos do metalcore nacional o quinteto Institution lançou em março (antes da quarentena) seu segundo trabalho o qual tem recebido críticas positivas. “Ruptura do visível” (HBB) traz nove porradas que são a trilha sonora do caos em que vivemos atualmente.

Em alto e bom português
Reprodução/Internet

Como a anunciar o apocalipse Hélio Siqueira (vocal) detona letras com forte carga social, escancarando o quanto nosso país mergulhou, nos últimos anos, na desigualdade, truculência e mazelas urbanas. Siqueira, e seus guturais/trituradores, é ladeado por Fábio Pereira (guitarra), Fernando de Moraes (guitarra), Rodolfo Duarte (baixo) e Lucas Melo (batera).

O álbum marca a transição definitiva das composições do inglês para o português o que foi muito bem recebido pelos fãs. Desta forma podemos conferir em nosso idioma versos que são verdadeiro soco no estômago dos atuais governantes. Um bom exemplo é “A Queda” cuja letra denota a ruína da sociedade, imersa na falta de solidariedade:

“A cólera acentua a barbárie e fomenta o ciclo por meio da exasperação da violência como antídoto da violência/Instrumentalizado o ódio é disseminado e se naturaliza por mentiras constantes que se tornam verdades reinantes no dia a dia”. Além de “A Queda” são destaques “Vertical”, “Frêmito”, “Vidas Plásticas”, “Cidade Informal” e “Metástase”. O tempo total de “Ruptura do Visível” não é longo, pouco mais de 30 minutos. No entanto é suficiente pra mostrar que o Institution veio pra gritar bem alto e em português. Recomendo.

Regional News

Com seriedade, respeito e compromisso com o leitor, o REGIONAL NEWS se propõe a preencher a lacuna existente no eixo LAPA – JUNDIAÍ, fechando parcerias e viabilizando o maior órgão de imprensa regional.

Buscar a verdade sempre, independente das forças e interesses contrários que a vida pública possa apresentar, sem jamais discriminar raça, credo, religião, posição sócio-econômica ou outras.

Vamos Bater um Papo?