São Paulo
3 meses atrás

Cidadãos pedem fiscalização e serviços em Perus

Cidadãos pedem fiscalização e serviços em Perus
Materiais inservíveis estão sendo descartados de forma ilegal em passeio (Arquivo Pessoal)

O descarte irregular de materiais inservíveis tem ocorrido com frequência em vários lugares e a Rua Antonio de Padua Dias, em Perus, virou o mais novo alvo desta ação ilegal e proibida. O local escolhido foi um muro em frente ao número 426 que da noite para o dia amanhece com móveis velhos e demais objetos depositados.

A situação tem gerado revolta aos moradores mais antigos da via que cobram da prefeitura regional a instalação de uma placa proibindo este tipo de ação. “Esse local pouco a pouco vem se tornando um ponto viciado de descarte de materiais inservíveis. Tudo o que não querem mais descartam na calçada e, às vezes, impedindo a passagem de pessoas que são obrigadas a andar pela rua que, diga-se de passagem, não é nada segura. Por isso, queremos nesse muro um quadro avisando as pessoas de que esse hábito é passível de penalidade”, disse uma moradora.

Mato ocupa vários trechos das calçadas na Rua Antonio de Padua Dias, em Perus. Situação gera desgaste (Regional News)

O descarte tem deixado os cidadãos espantados. “Moramos nessa rua há anos e nunca havíamos passado por essa situação. É uma via antiga, com hábitos antigos e educados de conviver. Não me recordo de um dia sequer ter visto lixo ou inservíveis colocados na rua antes dos dias pontuados pela prefeitura. Somos munícipes e obedecemos as regras colocadas pela regional de Perus, mas parece que algumas pessoas precisam ser alertadas, informadas das consequências de seus atos e das penalidades”, declarou.

Ainda para a via, moradores pedem o corte do mato que, atualmente, pode ser visto na frente da maioria dos imóveis. “Em alguns casos, a responsabilidade pelo serviço é da administração pública e em outros do proprietário da casa. Mas nas duas situações cabe a regional decidir o que deve ser feito. Então que realize uma vistoria e tome as providências necessárias”, pediu um cidadão.

Em busca de esclarecimentos, a assessoria de imprensa da Prefeitura Regional de Perus foi procurada, mas não encaminhou informações até o fechamento da edição impressa na quinta-feira, 26.

Na tarde de sexta-feira, 27, a assessoria de imprensa se manifestou com o seguinte posicionamento:

Conforme orientação passada a munícipe que nos contatou anteriormente sobre esta questão, a Prefeitura Regional Perus realiza todos os sábados a operação cata-bagulho, obedecendo a uma programação cíclica dividida em 12 blocos que contemplam todas as vilas dos distritos de Perus e Anhanguera. Na Rua Antonio de Pádua Dias, foi realizada a operação no dia 10/03/2018 e a próxima visita será no dia 02/06/2018. O que acontece, na maioria das vezes, é que não respeitam o horário da operação que se inicia às 7h. A Prefeitura Regional orienta para que todo objeto a ser recolhido pelo cata-bagulho seja disponibilizado no logradouro, na data em que vai passar, antes das 7h da manhã, porque não há uma previsão exata do horário que irá contemplar cada logradouro. Além disso, também informamos que os descartes de móveis, entulhos e outros objetos de grande volume podem ser realizados nos dois Ecopontos instalados (1 no Distrito Perus, localizado no Recanto dos Humildes, Rua Salles Gomes, 415, ao lado da passarela sobre a CPTM que dá acesso ao CEU (Centro Educacional Unificado) Perus e o outro; Ecoponto Santa Fé, localizado na Rua Salvador Albano X Rua Virginia Castiglione – Jardim Santa Fé, Distrito Anhanguera).

No caso do mato na calçada, a responsabilidade compete ao proprietário do imóvel, sendo passível de notificação e aplicação de multa pela Prefeitura Regional.

Quanto a instalação de placas sobre a proibição de depósito de lixo e entulho, por experiência de locais onde a mesma existe, foi constatado que acaba tendo um efeito contrário ao esperado (incentiva que a população realize o descarte sob a mesma). Temos vários exemplos nas vilas de Perus e Anhanguera. O correto seria uma ação fiscalizatória que também é prejudicada em virtude da necessidade do flagrante presencial dado pela Guarda Civil Metropolitana ou pelo Agente Vistor da Prefeitura Regional. Se isso acontecer, a multa a ser aplicada para o infrator é de R$ 15.520,00.

O munícipe pode, no momento do descarte, ligar para o telefone do setor de fiscalização da Prefeitura Regioanal 3396-8672, a fim de que seja constatado o flagrante.

O calendário completa da operação cata-bagulho para todo o ano de 2018, está publicado no site da Prefeitura Regional Perus, através do link: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/regionais/perus/catabagulho/index.php?p=38230.
 

Deixe seu comentário

Nota do Editor: Os comentários não são editados e são de responsabilidade dos autores. Não refletem a opinião do jornal Regional News.

Regional News

Com seriedade, respeito e compromisso com o leitor, o REGIONAL NEWS se propõe a preencher a lacuna existente no eixo LAPA – JUNDIAÍ, fechando parcerias e viabilizando o maior órgão de imprensa regional.

Buscar a verdade sempre, independente das forças e interesses contrários que a vida pública possa apresentar, sem jamais discriminar raça, credo, religião, posição sócio-econômica ou outras.

Vamos Bater um Papo?