Bem Estar e Saúde
1 semana atrás

Butanvac começou a ser produzida pelo Instituto Butantan

O Instituto Butantan iniciou nesta quarta-feira, 28, a produção da Butanvac. A vacina será produzida integralmente no Brasil, sem a necessidade de importação de matéria-prima.

Butanvac começou a ser produzida pelo Instituto Butantan
Produção da vacina no Instituto Butantan - Foto: Reprodução

De acordo com o governo do Estado de São Paulo, o primeiro lote do imunizante terá 1 milhão de doses e usará tecnologia própria já dominada pelo instituto para obtenção do insumo da Butanvac.

A previsão é de que 40 milhões de doses estejam prontas até junho, quando deve ser concluído todo o processo de aprovação e certificação da Anvisa.

O pedido de autorização do Butantan foi feito em 26 de março, e o protocolo de estudo clínico, em 23 de abril. De acordo com a agência, tanto o pedido quanto o protocolo do estudo clínico estavam incompletos e, por isso, não atendiam aos requisitos técnicos para a liberação de testes da vacina em seres humanos.

Na segunda-feira, 26, o Butantan protocolou na Agência Nacional de Vigilância Sanitária o pedido para iniciar os teste clínicos em humanos de fase 1 e 2 do imunizante. Nesta terça, 27, a agência solicitou informações adicionais para avaliar se libera a realização do primeiro estudo com a Butanvac. Até o momento, a vacina foi testada apenas em animais.

O pedido de autorização se refere às fases 1 e 2 de testes da vacina, nas quais serão avaliadas segurança e capacidade de promover resposta imune com 1.800 voluntários. Na fase 3, até 9 mil pessoas irão participar, e a etapa vai estipular a eficácia. O objetivo é encerrar os testes e ter 40 milhões de doses da vacina prontas antes do final de 2021.

Caso seja aprovado e, depois, seja comprovada sua eficácia, a Butanvac será a primeira vacina contra a Covid-19 produzida no país sem que seja necessária a importação de matéria-prima (IFA).

Regional News

Com seriedade, respeito e compromisso com o leitor, o REGIONAL NEWS se propõe a preencher a lacuna existente no eixo LAPA – JUNDIAÍ, fechando parcerias e viabilizando o maior órgão de imprensa regional.

Buscar a verdade sempre, independente das forças e interesses contrários que a vida pública possa apresentar, sem jamais discriminar raça, credo, religião, posição sócio-econômica ou outras.

Vamos Bater um Papo?