Franco da Rocha
1 mês atrás

Asfalto foi cobrado para via no centro de Franco da Rocha

Enquanto alguns admiram e preferem manter de alguma forma lugares que preservam marcas do passado, outros escolhem fazer uso dos avanços em todos os sentidos. Entre o passado e o presente, a Rua Abelardo Alves de Andrade, no Centro, em Franco da Rocha, surge como alvo de reclamação por ainda ser formada de paralelepípedo, lindo para uns, perigoso para outros.

Asfalto foi cobrado para via no centro de Franco da Rocha
Moradores cobram pavimentação para rua formada por paralelepípedo (Foto: Regional News)

De acordo com Altair Leme, que passa pela via diariamente, ela é a única na região central do município que ainda não recebeu asfalto e tornou-se perigosa em alguns momentos. Isso porque muitas pessoas idosas utilizando bengala passam pela rua e enfrentam problemas ao apoiar o objeto em meio ao paralelepípedo. “Já vi muitos idosos caírem por essa razão. A bengala enroscas e eles ficam sem o apoio necessário”, declarou.

Uma pessoa preferiu não se identificar, disse que os moradores protocolaram por várias vezes pedido para asfaltar a via junto a prefeitura, mas até continuam sem resposta. “Somente está rua não tem asfalto e gostaria que a solicitação dos moradores fosse atendida. É um trecho pequeno e com um pouco de esforço essa questão seria resolvida”, disse.

Já mesmo quem não mora na rua, prefere que o paralelepípedo seja mantido, pois preserva a história. “Entendo a situação dos moradores, mas deveria ser preservado por ser um perímetro curto formado por essas pedras”, revelou Santina Alves.

Em busca de esclarecimentos, a prefeitura de Franco da Rocha foi procurada por meio da assessoria de imprensa que não encaminhou resposta até o fechamento da edição.

Quedas de idosos com bengalas foi registrada em rua formada por paralelepípedo (Foto: Regional News)

Regional News

Com seriedade, respeito e compromisso com o leitor, o REGIONAL NEWS se propõe a preencher a lacuna existente no eixo LAPA – JUNDIAÍ, fechando parcerias e viabilizando o maior órgão de imprensa regional.

Buscar a verdade sempre, independente das forças e interesses contrários que a vida pública possa apresentar, sem jamais discriminar raça, credo, religião, posição sócio-econômica ou outras.

Vamos Bater um Papo?