Música
Nelson de Souza Lima » Música
1 mês atrás

As memórias musicais de Suricato

Rodrigo Suricato, cantor, compositor e instrumentista, resolveu viajar na pandemia. Contudo não foi uma viagem literal. O vocalista do Barão Vermelho mergulhou em seu passado rumo à infância na qual memórias afetivas e musicais afloraram. O resultado dessa trip é o álbum virtual “Suricateando”, que traz sete canções disponíveis nas plataformas digitais. Gravadas em fitas de rolo num estúdio doméstico, apenas com voz e violão, são pérolas da música popular brasileira revelando um Suricato muito além do blues e do rock.

As memórias musicais de Suricato
(Foto: Renan Oliveira)

Segundo ele, é legal perceber o quanto a memória das pessoas não é dividida em subgêneros. “Tudo que nos emociona faz parte do mesmo compartimento. Foi uma surpresa até pra mim com origem no blues e rock, me pegar no flagra emocionado por uma canção do Raça Negra (Cigana). Todas emolduraram nosso cotidiano e tenho boas lembranças, ainda mais nesse momento onde nossa mente foi revirada do avesso”, diz.

Falando nisso “Suricateando” é como se fosse um afago em quem está quarentenado. “Foi intencional. Tecnicamente queria que as pessoas sentissem que estava cantando dentro casa delas. Não é fácil chegar nesse som. É uma forma de estarmos próximos. Sinto falta de tudo. A intenção foi realmente dar um presente pras famílias, principalmente os mais velhos. É o momento mais difícil da nossa geração e minha profissão será a última a voltar. Então sigo fazendo projetos e engordando”, conclui.

Outras canções que integram o álbum são “Deslizes” (Fagner), “Volta Pra Mim” (Roupa Nova) e “Faltando um Pedaço”, do Djavan que virou um blues emocional.

 

Regional News

Com seriedade, respeito e compromisso com o leitor, o REGIONAL NEWS se propõe a preencher a lacuna existente no eixo LAPA – JUNDIAÍ, fechando parcerias e viabilizando o maior órgão de imprensa regional.

Buscar a verdade sempre, independente das forças e interesses contrários que a vida pública possa apresentar, sem jamais discriminar raça, credo, religião, posição sócio-econômica ou outras.

Vamos Bater um Papo?