Artigo
Dr. Fabio Cenachi » Artigo
3 meses atrás

Amazônia nossa de cada dia

Mais de uma vez, neste espaço, tivemos oportunidade de conversar a respeito de presevarcionismo, e especificamente sobre a Amazônia. Aqueles que tem o péssimo hábito de nos visitar semanalmente certamente vão se lembrar de expressões como desenvolvimentismo sustentável, ou mesmo ambientalismo de aquário, ao quais acabamos nos referindo vez por outra. Procuramos não entrar no mérito ou demérito político de que qualquer esfera federativa, por razões pessoais e até mesmo éticas, mas temos observado determinadas condutas que acabam por se deteriorar por conta de uma campanha negativa de divulgação, muitas vezes inauguradas pelos próprios responsáveis pela demonstração, com suas condutas, com sua postura, e não com discursos ensaiados, como se pretende agir em prol do bem comum. Não se trata de um confronto de bandeiras ideológicas ou mesmo antagonismos revanchistas, que absolutamente não são privilégio desse momento político específico.

Amazônia nossa de cada dia
(Foto: Reprodução)

A Europa alardeando os incêndios, as posturas inadequadas do Estado brasileiro, faz realmente pensar se o interesse tão elevado devastado Velho Mundo está sobre ou sob o solo amazônico. Depois de perceberem a revolução industrial, com os males causados pela fumaça, degradação ambiental, poluição por metais pesados, químicos, CO e afins, agora buscam arvorar-se, com toda licença pelo trocadilho, em protetores dos animaizinhos que morreram carbonizados nas criminosas queimadas. Criminosas, passíveis de repressão criminal, rigorosa e exemplar é indiscutível e INAFASTÁVEL. Todavia, penso que mesmo em face do interesse antagônico que se percebe na economia deste e de todos os países dessa tal de Terra, Nós temos a melhor aptidão para cuidarmos das “nossas coisas” e somos dotados das melhores competências técnicas para a nossa realidade ecológica. Nous comprenons, mes chers?!

Regional News

Com seriedade, respeito e compromisso com o leitor, o REGIONAL NEWS se propõe a preencher a lacuna existente no eixo LAPA – JUNDIAÍ, fechando parcerias e viabilizando o maior órgão de imprensa regional.

Buscar a verdade sempre, independente das forças e interesses contrários que a vida pública possa apresentar, sem jamais discriminar raça, credo, religião, posição sócio-econômica ou outras.

Vamos Bater um Papo?