Música
Nelson de Souza Lima » Música
9 meses atrás

Anitta: A menina “superpoderosa” do pop

Se perguntarmos para a maioria das pessoas se conhecem Larissa de Macedo Machado muito provavelmente dirão que não. Contudo se falarmos em Anitta todos, ou pelo menos a maior parte, dirá que conhece a cantora e atriz carioca que nos últimos tempos se tornou o maior fenômeno da música pop em nosso país. Anitta é o nome artístico da jovem de 24 anos nascida no Rio de Janeiro que começou a cantar ainda criança numa igreja evangélica no bairro Honório Gurgel.

Anitta: A menina “superpoderosa” do pop
(Imagem: Reprodução)

A carreira profissional de Anitta teve início em 2010 quando foi descoberta pelo produtor musical Renato Azevedo. Após vê-la num vídeo no Youtube Azevedo a chamou para assinar um contrato com a gravadora independente Furação 2000.

Em 2012 devido ao sucesso de “Meiga e Abusada” a major Warner Music Brasil resolveu contratá-la. A partir dai com o suporte de uma grande gravadora a trajetória da cantora foi meteórica. O single lançado em 2013 “Show das Poderosas” foi direto para a segunda posição da Billboard Brasil. Em junho do mesmo ano foi lançado o primeiro álbum autointitulado. Seu cachê, à época, estava na casa dos 150 mil reais por show, um dos mais altos do país.

O ano de 2014 foi um dos mais produtivos e lucrativos para Anitta. Em fevereiro gravou o primeiro DVD da carreira no HSBC Arena do Rio para um público de mais de 10 mil pessoas. O DVD foi lançado em junho de 2014 junto com o segundo disco da cantora “Ritmo Perfeito”, que trouxe os sucessos “Cobertor”, com a participação do rapper Projota, e “Na Batida. O clipe dessa última teve mais de um milhão de views no Youtube em 24 horas.

“Bang” o terceiro álbum de estúdio da carioca, foi lançado em outubro de 2015. Recebeu as certificações de Ouro e Platina e trouxe os sucessos “Deixa ele sofrer”, “Bang”, “Essa Mina é Louca” e “Cravo e Canela”. Naquele mesmo mês ela faturou o EMA World Act Latin America, feito nunca alcançado por um artista brasileiro.

Com o sucesso estrondoso não faltaram parcerias e premiações. Entre parcerias ou participações com outros artistas estão as realizadas com Simone & Simaria, Pablo Vittar, o colombiano J. Balvin, o DJ Alesso, MC Zaac, Tropkillaz e o rapper norte-americano Maejor.

Indo muito além do funk a sonoridade de Anitta transita pelo dance-pop, Melody, Pop e R&B.
As maiores inspirações vêm das internacionais Beyoncé, Rihanna, Mariah Carey , Katy Perry e da baiana Ivete Sangalo.

Um dos pontos altos de sua carreira foi a participação na abertura das Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016. Ao lado de Caetano Veloso e Gilberto Gil interpretou “Sandália de Prata”.

Sobre isso ela diz “é claro que tenho minhas inspirações. Eu amo, eu cresci ouvindo Mariah Carey, Rihanna. Eu amo de paixão a Beyoncé, que não tem como, o Brasil inteiro, o mundo inteiro é fã. Então a gente tem sim as nossas referências, sempre. E é super importante para você ter uma inspiração. Eu gosto muito de olhar as minhas divas”.

Como atriz Anitta já participou de inúmeros programas de TV, filmes e espetáculos de teatro. Entre eles estão as novelas “Amor à Vida” e “Alto Astral”, o humorístico “Vai que Cola” e os longas-metragens “Copa de Elite” e “Didi e o Segredo dos Anjos”.

O mais recente single de Anitta “Vai Malandra” foi disponibilizado no Youtube em dezembro de 2017. Dirigido por Terry Richardson a canção é um autêntico funk carioca tendo mais de 500 mil views em 20 minutos. Tornou-se a maior estreia de um clipe brasileiro na net. Atualmente o clipe já contabiliza mais de 156 milhões de visualizações. É mesmo uma menina super poderosa.

Deixe seu comentário

Nota do Editor: Os comentários não são editados e são de responsabilidade dos autores. Não refletem a opinião do jornal Regional News.

Regional News

Com seriedade, respeito e compromisso com o leitor, o REGIONAL NEWS se propõe a preencher a lacuna existente no eixo LAPA – JUNDIAÍ, fechando parcerias e viabilizando o maior órgão de imprensa regional.

Buscar a verdade sempre, independente das forças e interesses contrários que a vida pública possa apresentar, sem jamais discriminar raça, credo, religião, posição sócio-econômica ou outras.

Vamos Bater um Papo?