Memoria 1272A Rede Tupi, TV Tupi ou simplesmente Tupi, tendo o índio Tupiniquim como logotipo, foi a primeira emissora de televisão do Brasil, da América Latina e a quarta do mundo a entrar no ar. Fundada em 18 de setembro de 1950, em São Paulo, pelo paraibano Assis Chateaubriand, o ‘Chatô’, ela fez parte do Grupo Diários Associados. Para a inauguração foram importados 200 aparelhos de televisão, e até o fim daquele ano, o País já tinha mil televisores. Hoje são mais de 65 milhões.

Depois de poucos meses de treinamento, alguns radialistas escolhidos por Chatô lançaram-se à aventura de fazer TV. Os estúdios eram pequenos, o equipamento precário, mas o nascimento da TV Tupi foi solene. Acostumados à improvisação e rapidez do rádio, os pioneiros não tiveram problemas em se adaptar ao moderno veículo e aprenderam muito: ator virava sonoplasta, autor dirigia, diretor entrava em cena. A TV Tupi dos primeiros anos era uma verdadeira escola.

Dois dias depois da primeira emissão, estreou o primeiro programa humorístico, chamado ‘Rancho Alegre com Mazzaropi’. Aos poucos, outros programas ganharam forma: o primeiro telejornal, a primeira telenovela. O programa TV de Vanguarda revelou a primeira geração de atores, atrizes e diretores. Outras programações tornaram-se campeões de audiência e permanência no ar, como Alô Doçura, Sítio do Pica-pau Amarelo, O Céu é o Limite, programa de perguntas e respostas comandado por J Silvestre, o Grande Teatro Tupi, de peças televisionadas, o Clube dos Artistas e o famoso telejornal Repórter Esso, “testemunha ocular da história”, que ficou 18 anos no ar.

Se na primeira década de existência a Tupi foi líder absoluta, nos anos 1960 as emissoras concorrentes se aprimoraram para lutar pela audiência. Em 16 de julho de 1980, devido aos vários problemas administrativos e financeiros, a concessão foi cassada pelo governo brasileiro. Outras seis emissoras que formavam a rede também deixavam de existir. A Tupi saía do ar exatos 29 anos e dez meses depois de inaugurada.