Comparada às mortes provocadas pela explosão da bomba nuclear que dizimou a cidade de Nagasaki no Japão em 1945, durante a Segunda Guerra Mundial, o número de mortes violentas no Brasil em 2016 assusta, mas apenas retrata o atual momento do País penando nas mãos de ladrões que, pensando em si próprios, esquecem de governar e promovem essa baderna e sensação de insegurança.

De acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o Brasil registrou 61.619 mortes violentas no ano passado, configurando como o maior número de homicídios da história. Apenas a título de comparação, a quantidade de extermínios é quase o número de habitantes da cidade de Cajamar, localizada na região.

Difícil aceitar que tantas pessoas morrem dessa maneira e, muitas delas de forma cruel o que causa mais indignação ainda. Mas a violência tomou conta de quase tudo e de todos, além de parecer não ter fim, mesmo alguns governos divulgando queda no número de crimes em algumas regiões, maquiando os números reais.

Muitas vezes longe de nós e outras vezes perto demais, o mesmo Fórum ainda divulgou que sete pessoas foram assassinadas por hora em 2016. Não dá para se ter ideia do que isso significa e que era possível de acontecer. Mas infelizmente é esse o dado divulgado que mostra aumento em relação a 2015 e tem tudo para ser ainda maior esse ano.

É uma triste realidade que traz consequências horríveis, nos privando cada vez mais de sairmos de casa e até de nos sentirmos seguros dentro dela. Saímos pedindo proteção a Deus sem saber se voltaremos. Uma horrível sensação que faz cada vez mais odiarmos esse País rico por natureza, mas pobre de governantes e de poder, principais culpados por essa situação.