Com tantas catástrofes sendo registradas em todo o mundo, o sinal de alerta ligado há anos indica que já passou da hora do ser humano entender que nada é possível contra a fúria da natureza.

Mais que simplesmente entender é não procurar explicações e culpados para tragédias computadas nos últimos anos, já que o principal responsável para essa revolta é o próprio ser humano.

Não bastam avisos e alertas. O homem sempre acha que está acima dessas forças ocultas. Mas o resultado é sempre o mesmo: estragos e mortes.

Na última semana, vimos duas embarcações, uma no Pará e outra na Bahia, naufragando e levando a morte de dezenas de pessoas. Em um dos casos, a negligência ficou evidente. Mas na outra, a natureza mostrou sua força em mais um sinal de que nada pode detê-la.

Mas não só no Brasil tragédias foram registradas. Pelo mundo afora foi possível observar tornados e tempestades devastando cidades, inclusive em país de primeiro mundo como os EUA.

A cada ano pessoas são vitimadas pelas forças da natureza e o homem parece incapaz de compreender sua responsabilidade nessas tragédias anunciadas. Aliás, sem culpa alguma invadem espaços preservados sem pedir licença, desmatam sem preocupação em busca de capital. Ainda sem remorsos, dão de ombros para a resposta da natureza, quase sempre implacável, que deixa rastros irreparáveis.

Mas nada detém o homem que se mostra cada vez mais ganancioso. Sempre querendo mais e mais em nome de um progresso que poderia ter organização e respeito, de forma ordenada, sem agressão ao meio ambiente e de acordo com as regras, sem corrupção é claro.

A selva de pedras hoje vista em cidades que antes ostentavam a fama de cinturão verde entristece e muito. Mas essa invasão traz consequências e muitas são vistas quando a natureza se manifesta. Chorar o leite derramado é complicado. Portanto, cada um tem de fazer sua parte para ao menos minimizar questões como a que vimos corriqueiramente com pessoas morrendo e sendo atingidas por essas catástrofes. Afinal, quando a natureza se rebela ela não enxerga quem é que fez ou não mal a ela. Aí é que pessoas inocentes pagam por aquilo que não fizeram.

Nada e ninguém pode deter essa fúria promovida pelo ser humano, por si orgulhoso, prepotente e preocupado apenas com o presente e seu próprio umbigo. Vale lembrar a expressão: para toda ação existe uma reação. E com a natureza não é diferente.