Passamos na última semana o dia dos Pais, a quem deixei de prestar as mais justas homenagens, por conta dos absurdos de um quintal chamado Brasil, mas nem por conta disso deixamos de amá-los e reconhecer estarmos onde estamos por mérito e obra destes. Tanto do nosso país, quanto de nossos pais. Aliás estes certamente tenham uma responsabilidade muito maior até do que nossa casa. Têm a responsabilidade de nossa criação e educação, para, por exemplo, não botarem o mundo de joelhos, enquanto discutem quem tem o brinquedo mais bonito.

Lamentavelmente, se um dos dois decidir por realmente à prova seu arsenal, o mundo perecerá. Tudo porque “eu falei primeiro”?! É evidente que uma infinidade de detalhes é concorrente e acaba por sustentar esse verdadeiro circo de ameaças medos, mas de qualquer forma, como não olhar para dois líderes mundiais e interpretar dois inconsequentes dispostos, como na música, “… por fim na aventura humana na Terra…”?! Ou então, já em nosso quintal, ver representantes de um povo que viu retornarem endemias de cólera, febre amarela, malária, entre outras, justificarem o desvio de um monte de bilhões de reais, incontáveis, por mera ganância, por apego a um poder ilegítimo e usurpado. Papais… Deus os ilumine e guarde hoje e sempre, os ponha sempre em bom caminho, para que possamos ver nossos filhos construindo um mundo melhor.