(Imagem: Reprodução)

Recentemente, muito tem se falado sobre a febre amarela em macacos, criando uma certa apreensão principalmente nas áreas próximas a matas com populações de primatas. No entanto, assim como acontece com humanos, os macacos também são vítimas da doença, que é causada por um vírus e transmitida pela picada de mosquitos, com hábitos estritamente silvestres, sendo os gêneros Haemagogus e Sabethes.

A Secretaria da Saúde de Caieiras, a pedido do CVE, Centro de Vigilância Epidemiológica, da Secretaria Estadual da Saúde, com o objetivo de proteger a população, iniciou uma intensificação de vacinação contra a febre amarela.

Nessa semana, a equipe da Vigilância Epidemiológica realizou a intensificação pelas ruas dos Jardins Nova Era, Novos Rumos e Esperança e parte do Jardim São Francisco, casa a casa, imunizando os moradores. Para quem não foi vacinado, de 14 à 19 de agosto, o trabalho será realizado no Jardim Marcelino.

Posteriormente, a equipe estará em outros bairros, a fim de realizar a ação de intensificação nas áreas de risco do Município.

É importante ressaltar que a medida está ocorrendo nos cinco municípios da região a pedido da Secretaria Estadual da Saúde.

Os primeiros sintomas da doença são: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar, quando pode ocorrer insuficiência hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), hemorragias e cansaço intenso.

Caso encontre macacos mortos ou doentes, o cidadão deve informar o mais rápido possível a Vigilância Epidemiológica pelo telefone: 4442-5236.

Fonte: PMC