Reconhecido no Brasil e no exterior, o projeto cuja duração é de 12 meses, foi criado em 1996 por Lucas Ciavatta (Divulgação)

Reconhecido no Brasil e no exterior, o projeto cuja duração é de 12 meses, foi criado em 1996 por Lucas Ciavatta (Divulgação)

A Escola Estadual Brigadeiro Gavião Peixoto, maior escola estadual da cidade de São Paulo, recebe a partir deste mês o projeto “O Passo”, um método de educação musical por meio de oficinas para trinta e cinco crianças e adolescentes. O projeto é uma realização do Ministério da Cultura por meio da Lei de Incentivo à Cultura – Rouanet, realizado pelo Grupo Incentivar e patrocínio do Grupo Somos Educação.

Dia 18 de setembro, às 20h30 acontece a apresentação do Bloco “O Passo” na escola com entrada gratuita e aberta ao público. A partir de outubro as oficinas tem início efetivamente.

Reconhecido no Brasil e no exterior, o projeto cuja duração é de 12 meses, foi criado em 1996 por Lucas Ciavatta, indicado ao Prêmio Faz Diferença do jornal O Globo, em 2011, pelo conjunto de sua contribuição para o ensino da Música.

Baseado num andar específico e orientado pelos pilares corpo, representação, grupo e cultura, “O Passo” introduz novos conceitos no ensino-aprendizagem musical das crianças como posição e espaço musical, e novas ferramentas como o andar, notações orais e corporais e a partitura d’O Passo.

“É uma forma de inclusão efetiva de todos os alunos na prática musical com o desenvolvimento da musicalidade de cada um, por meio de método baseado nos princípios de inclusão e autonomia. Portanto, mesmo os alunos com deficiência auditiva ou necessidades especiais podem participar das oficinas”, explica o Supervisor de Marketing do Grupo Incentivar, Welson Ribeiro.

As oficinas buscam propiciar o reconhecimento do corpo como uma ferramenta fundamental para o processo de ensino-aprendizagem de música, introduz a noção de que corpo e mente devem caminhar necessariamente juntas, auxilia na construção de processos de representação cada vez mais complexos, prestando especial atenção às formas de notação oral, corporal e gráfica, além de possibilitar a compreensão de que nossa cultura se impõe como uma referência fundamental para a construção tanto de nossa música quanto de nossa identidade.

“O Passo” é dividido em três partes: produção, oficinas e encerramento e tem previsão de término em outubro de 2018.