Os mais de 40 gatos estão sob os cuidados de Maria (Foto: Cleber Barbosa)

Os mais de 40 gatos estão sob os cuidados de Maria (Foto: Cleber Barbosa)

Em primeiro lugar, gostaria de iniciar com um agradecimento especial ao jornal Regional News pelo espaço para contar essa história.

Em de maio de 2017 iniciei uma jornada, que muitos chamaram de louca, mas que na minha cabeça não tinha como ser diferente. Ofereci lar temporário para mais de 40 gatos.

Se você leu as notícias da cidade, ficou sabendo da história de uma pessoa que mantinha mais de 70 gatos em sua casa quando foi desapropriada. Sem uma dona, lar ou pessoas que quisessem cuidar dos bichanos, me encarreguei de abrigá-los.

Tinha a missão de alimentar e castrá-los, mas assim que chegaram percebi que teria muito mais a fazer: esses gatos não sabiam nem ser “gatos”. Comecei a caminhar na tentativa de ganhar a confiança e oferecer o mínimo de dignidade para esses peludos. Mas eu não estava sozinha nesse caminhar e esse texto é justamente para registrar e agradecer a todos que me ajudaram nesta enpreitada.

Uma delas é a Fabiola, não a conheço pessoalmente, mas graças a ela me reaproximei da Celina, amiga antiga, sensível e que ama os bichanos. Rita de Cássia, protetora que inicialmente pediu para que eu fosse lar temporário juntamente com o Guimarães que, além de trazê-los a mim auxiliou fazendo uma ponte entre os bichos e a prefeitura de Caieiras com 34 castrações durante as campanhas do ônibus.

Agradeço ainda as minhas filhas que montaram uma página no Facebook para divulgar a situação, conseguindo principalmente adotantes para os pequenos. Graças à página pessoas incríveis chegaram até nós, como a Thaís Rodrigues, que sempre que pode, entre um trabalho e outro, vem munida de vassoura e rodo para ajudar na faxina e no amansa gato, importante para torná-los mais sociáveis.

Ao Cleudo Oliveira que auxiliou na captura dos gatos e a Aline Carvalho Gomes que alimentou, higienizou e cuidou de todos que ficaram soltos na casa e na rua em seguida à desapropriação e abandono de sua dona. Graças a eles, esses gatos foram mantidos alimentados e seguros, e hoje encontram-se todos sob meus cuidados.

Os bichanos remanescentes, as três gatas prenhas das últimas resgatadas e alguns outros que necessitam de cuidados para uma epidemia de rinotraqueite e castrações emergenciais esses são cuidados por uma doutora da cidade de Caieiras que tem feito um trabalho excepcional, tratamento especial, com total carinho e dedicação.

A Mara do gatil Gigi que deixou seus tantos e tantos gatos para aplicar o pentabiotico nesses muito necessitados da medicação.

Em exatos 180 dias, castramos, alimentamos e higienizamos quase todos os gatos. E isso só foi possível graças a essas pessoas que citei acima.

Mas nosso trabalho ainda não acabou e agora você pode nos ajudar. Quer adotar um bigode para chamar de seu ou sabe de alguém que queira adotar, entre em contato pelo telefone 99604-9679, falar com Maria.

Maria ‘cuidadora’.